Sanflex


Compartilhar
sanflex-4

Características

Sanflex é um impermeabilizante flexível, monocomponente, desenvolvido para superfícies de alvenaria. Possui excelente aderência à substratos cimentícios, acompanhando eventuais movimentações, podendo receber revestimentos, como tintas emborrachadas e contrapiso.

Utilização

É indicado para aplicação em lajes, fachadas e floreiras. Em reservatórios, piscinas e caixas d’água, somente se forem aéreas. Nas paredes que não sejam muro de arrimo. Em estruturas sujeitas a eventuais movimentações sem problemas estruturais, tratamento de fissuras, trincas, juntas de dilatação, etc. Sanflex é indicado somente para aplicações na pressão positiva.

Composição

Resina à base de dispersão acrílica, agregados minerais e aditivos especiais.

Cor

Sanflex é fornecido na cor Branco.

Rendimento

O consumo de Sanflex em 4 demãos deverá ser superior a 2 kg por m², com espessura mínima de 2mm após a cura. O rendimento pode variar conforme a porosidade da superfície.

Armazenamento

Deve ser mantido em temperatura ambiente, em local seco e arejado, para que não ocorram alterações em suas características iniciais.

Validade

Avalidade do Sanflex é de 24 meses, dentro de sua embalagem original não violada.

Limpeza

Alimpeza de equipamentos e ferramentas deverá ser efetuada com água, enquanto o produto não estiver seco.

Embalagem

Sanflex é fornecido em baldes plásticos de 1 kg, 3,6 kg e 18 kg.

Preparo da superfície

A superfície deverá estar curada e seca, isenta de poeira, óleos, graxa, partículas soltas, rebarbas de concretagem. Não aplicar Sanflex sobre superfícies com problemas estruturais e que tenham aplicação de produtos à base de petróleo. Para a aplicação em caixas d'água aéreas, deve-se limpá-las, esperar a secagem antes da aplicação. As imperfeições do concreto e cantos vivos, devem estar previamente corrigidas com argamassa. A temperatura da superfície a ser aplicada deve ser inferior a 35ºC. Na aplicação em lajes recomendamos a colocação de tela de poliéster em toda área. Em qualquer estrutura sujeita a movimentação, tubos, ralos, conexões e cantos, recomenda-se colocar tela de poliéster para maior resistência. Em lajes com contrapiso, verificar se o mesmo está firme antes de iniciar a aplicação do Sanflex. O contrapiso estando solto deverá ser trocado. Em lajes, deverá ser efetuado juntas de dilatação conforme normas da ABNT a cada 20m², em toda a área, com cortes de pelo menos 0,5 cm de largura, em toda a espessura do contrapiso, que deverão ser preenchidas com Sanflex. Após 6 horas iniciar o processo de aplicação normal de Sanflex. Correção de trincas e rachaduras Em rachaduras e trincas no piso, abrir e limpar a mesma com largura e profundidade de 1cm. Em trincas e rachaduras de maior profundidade, recomendamos a aplicação de Sanflex em camadas de 1cm no máximo, até nivelar com a superfície, aguardando a secagem mínima de 24 horas entre elas. Após o preenchimento total da junta com a superfície, iniciar a aplicação das 4 demãos de Sanflex com tela de poliéster.

Preparo do produto

Misturar, de preferência com agitador mecânico, para homogeneizar o produto.

Aplicação do produto

A aplicação poderá ser feita com rolo de pintura antigotas, vassoura de pelos macios, pincel ou trinchas. Aplicar 4 demãos com consumo superior a 2 kg por m², com espessura mínima de 2mm após a cura. O rendimento pode variar conforme a porosidade do local. O intervalo mínimo para cada aplicação é de 6 horas com tempo bom. Em ambientes com baixa temperatura ou pouca ventilação o tempo de secagem pode prolongar-se, neste caso aguardar a secagem total para dar a demão seguinte. Após a aplicação da última demão, a secagem final se dá em 72 horas, em condição de tempo bom. Na aplicação em lajes recomendamos a colocação de tela de poliéster em toda a área, que deverá ser aplicada na segunda demão, aplicando o Sanflex, em seguida colocar a tela de poliéster e novamente repassar o Sanflex sobre a tela fundindo-a no produto. A tela deve transpassar 5cm em cada emenda. Em áreas expostas ao sol (raios ultravioletas) e áreas sujeitas a tráfego, deve ser feita uma proteção mecânica, com um contrapiso. Em tanques para a criação de peixes verificar o pH da água antes do uso. Realizar, após a cura, o teste de estanqueidade, submetendo a estrutura impermeabilizada com água, por no mínimo 72 horas, para certificar-se que não houve falhas na aplicação.